Cultura & Memória

Compartilhe:  
Festa Brasileira, no SESC Itaquera, termina com emocionada homenagem à memória de São Paulo
por: Valter A. Costa
31/08/2012

Neste mês de agosto, a Zona Leste de São Paulo foi presenteada com a Festa Brasileira, realizada nos dois últimos finais de semana do mês, pelo SESC Itaquera.

Foi uma Festa Brasileira, mas o tema foi bem paulistano como já indicava a chamada que dava título à Programação: “Se eu Perder esse Trem...nos Trilhos da Memória Paulistana”.

E como a temática visava homenagear a memória paulistana nada mais apropriado mesmo do que buscar na obra de Adoniran Barbosa, a inspiração. E aí não seria difícil chegar na música “Trem das Onze”, uma das obras deste compositor que está mais associada aos tempos de São Paulo Antiga.

E se a Estação Jaçanã, citada na letra de Adoniran, não existe mais, também na Zona Leste muita coisa mudou nesta marca do desenvolvimento inicial da Capital, que era a ferrovia e suas estações que pontuavam os bairros operários da região.

Desde o ano 2000, várias estações da CPTM foram desativadas (Vila Matilde, Patriarca, Artur Alvin, Itaquera e Parada XV de Novembro,, por exemplo, deixaram de existir). Algumas delas deram lugar às Estações de Metrô e outras simplesmente nem foram substituídas, como é o caso da Estação Parada XV de Novembro, cuja população foi vítima do novo traçado da linha ferroviária que, desviando do bairro, passou a atender outras áreas em expansão (a do Conjunto Habitacional José Bonifácio, por exemplo). São Paulo e sua Zona Leste, portanto, mudaram muito desde os tempos retratados por Adoniran em suas canções.

O TEMA DA MORADIA POPULAR NAS CANÇÕES DE ADONIRAN

Mas alguns problemas da cidade, especialmente aqueles vividos pela população mais pobre, moradora das favelas, continuam atuais. Afinal, Adoniran tratava dos pobres e suas coisas, da “Saudosa Maloca” e da tristeza da perda da moradia. Nestes tempos atuais em que milhares de moradores de favelas situadas na região de Itaquera correm o risco de perder suas casas em decorrência das obras ligadas à Copa de 2014 (incluindo as adequações viárias, alargamento e abertura de vias, construção de parques, etc), nada podia ser mais oportuno do que a escolha feita, pela cantora Fabiana Cozza, da música “Despejo na Favela”, cantada, no dia 25 de agosto, para homenagear o compositor.

O “SAMBA VIRADO À PAULISTA”

Neste dia várias cantoras deram voz e vida aos vários personagens populares que integram o repertório tanto de Adoniran como também de outros compositores homenageados (como Paulo Vanzolini e Geraldo Filme). Nesta tarefa se revezaram no palco, além de Fabiana Cozza, Graça Braga, Flávia Bittencourt, Verônica Ferriani, Grazzi Brasil, Milena e Priscila Amorin. Esta última homenageou ainda um compositor alagoano, Jorge Costa, imortalizado pela música “Triste Madrugada”.

O BATE-PAPO GASTRONÔMICO

Mas festa é festa e, além da música, tinha que ter mesmo a atração da comida. O “Virado à Paulista”, portanto, estava tanto presente no palco, como também nas barracas que ofereciam pratos típicos do Estado e Capital. Mas, sendo uma cidade de imigrantes, muitos dos tais “pratos típicos” são internacionais. E esta origem internacional destes pratos era o tema do Bate-papo Gastronômico “De lá para Cá” que discutia sobre as influências de portugueses, italianos e árabes na nossa culinária, oferecendo histórias e pratos, para alegria dos felizardos que conseguiam lugar no espaço reservado ao lado do palco na Praça dos Eventos.

AS BARRACAS DAS ENTIDADES SOCIAIS DA REGIÃO

Ainda na Praça dos Eventos, podiam ser visitadas as barracas das entidades sociais da região que tradicionalmente participam das Festas Juninas do SESC Itaquera e que, neste ano, também estavam lá para prestigiar a Festa Brasileira: Obra Social Dom Bosco, Ação Social de São Mateus, Sociedade Ambientalista Leste, Creche Irmã Marianna Sala e muitas outras.

Nestas barracas, o público tanto podia obter um artesanato (como na barraca da Sociedade Ambientalista Leste) como participar de alguns dos jogos que divertiam a garotada de diversas idades.

AS CRIANÇAS E O TREM COLORIDO

Mas diversão mesmo as crianças tiveram com o trem colorido da “Bella Cia de Teatro”. Seus atores, seguindo um bonito trem colorido, divertiram as crianças com brincadeiras e músicas que resgataram a memória dos primeiros trens de São Paulo. As crianças mais crescidas também se divertiram nas aulas de gafieira que animavam o público num aquecimento para os shows.

Foi uma bela festa!



Mais notícias relacionadas a Cultura & Memória

• Show Maria Bethânia - Sesc Itaquera - Domingo Dia 11/09/2016
• Festejos de São Miguel Paulista - Setembro de 2016
• Sepultura faz show gratuito no SESC Itaquera - Domingo dia 21/08/2016
• Aniversário de São Miguel Paulista - 393 anos
• 37ª Festa Das Cerejeiras do Parque do Carmo




Deixe seu comentário