Educação

Compartilhe:  
Poesia vencedora na Categoria Adulto - 1º Congresso de Educação ZL
por: Valter A. Costa
19/11/2013

Orfandade Precoce

Irineu Laino Junior

Relógio despertador tocando
Barulho do ranger de portas de madeira se abrindo
Chinelos arrastando-se pelo chão de taco
Janelas se abrindo permitindo a entrada do sol da manhã

É cedo...

Um rádio á pilha modulado em frequência AM
Completa a sonoplastia do ambiente
Misturado aos sons de pigarro
Em meio a fumaça do Belmont filtro vermelho

É cedo...
     
O pensamento ainda está confuso
Parece dançar ao som da enceradeira
Que, neste momento, passa ser protagonista
O banheiro se mostra tão looonge

É cedo...

Tudo é tão perfeito
O aroma do café coado em filtro de pano
Canecas de ponta cabeça em meio á mesa descalçada
O bule avisa que o leite está quente
E o quadro Pfizer parece sorrir na parede

Já não é tão cedo...

A alvorada já não é mais anunciada
As portas calaram-se
O espelho do corredor reflete a imagem de sapatos e tamancos negros em movimentos
O sol está preso do lado de fora

Silêncio...

Sussurros e olhares distantes
Parece que um beija flor bateu asas na varanda
Ou seria o pouso silencioso de uma Fênix?
O Belmont está tão curto em meio às cinzas do cinzeiro tripé de bambú

Os pensamentos, já não mais dançam confusos
Tudo parece tão real, vazio...
A mesa está vazia
E o quadro desalinhou-se da parede

É tarde...

 

Sobre o autor

Aos 37 anos, Irineu Laino Junior é professor da Rede Estadual de Ensino de São Paulo e estudante do último ano de graduação do curso Letras - Licenciatura Plena - pela Faculdade Santa Izildinha. Atualmente leciona Língua Portuguesa na E.E Sapopemba.

 

VEJA AS OUTRAS POESIAS




Mais notícias relacionadas a Educação

• Convite para o Seminário: Estudos e Ações para a Educação de Qualidade Social e Proteção Integral à Criança e Adolescente no Território
• Vídeo III Congresso - Professor Paulo Cesar Carneiro
• Vídeo III Congresso - Manoel Romão
• Vídeo III Congresso - Edson Amaro
• Vídeo III Congresso - Diretor José Silveira




Deixe seu comentário