Educação

Compartilhe:  
Nossa homenagem ao Padre Paulo Sérgio Bezerra pelos 30 anos de presença em Itaquera
por: Valter A. Costa
18/07/2012

30 ANOS DE PRESENÇA DO PADRE PAULO SÉRGIO BEZERRA EM ITAQUERA


Neste ano em que são comemorados os 30 anos da presença do Padre Paulo Sérgio Bezerra em Itaquera é motivo de grande honra e alegria poder compartilhar algumas linhas  sobre  esta significativa passagem. Poderia falar diretamente desta pessoa fantástica que é o Padre Paulo, mas meu vício de professor de história me leva a relacionar sua figura a de dois outros personagens batizados com o mesmo nome.

 

Faço referência, inicialmente, à similaridade entre determinada postura que parece ser muito característica do Padre Paulo Bezerra, que é a do grande respeito que demonstra ter às outras falas, pensamentos e culturas, e o papel desempenhado por Paulo de Tarso, no contato e evangelização dos gentios.

Tal como o Apóstolo Paulo de Tarso, que pregava para outros povos, disseminando, nos primeiros tempos do Cristianismo, a nova crença para a maior parte do Mediterrâneo, nosso Paulo de Itaquera, também faz uma evangelização que cruza fronteiras, dialoga com outros pensamentos e culturas. Mas faz isto sem ter que sair de Itaquera. Paulo Bezerra evangeliza gentios sem precisar migrar de território. Não precisa ir para a Grécia ou para a Síria ter contato com os que são tidos como “outros”.

 

Aqui mesmo, em nosso bairro, acolhe, ouve e respeita estes outros que  descobrem, no diálogo, que não são tão “outros” assim. As fronteiras que atravessa são as fronteiras do pensamento, das convicções, das ideologias. Faz com sua postura, que nos reconheçamos na mesma humanidade. Humanidade acolhedora que abriga na sua casa católicos,  mas também protestantes, mas também espíritas, mas também budistas e até aqueles que estão à margem de qualquer religião ou filosofia. E, principalmente, acolhe os oprimidos. Sua casa é do povo. E esta que também é sua marca forte faz lembrar o nome de outro Paulo, outro Paulo brasileiro.

 

Paulo Bezerra também lembra Paulo Freire. Lembra Paulo Freire pela perseverança humanística e democrática. Pelo compromisso com os pobres. Pela pedagogia que liberta. Pela simplicidade amorosa com que trata os humildes. Dá voz aos que não são nunca ouvidos. É homem de ouvir. Ouve, observa, indaga. Educa. Educa com palavras,  mas educa   também  com ações. Educa ao dar apoio aos ambulantes que são perseguidos pelas autoridades. Educa ao dar apoio aos moradores das Comunidades pobres que são ameaçadas de remoção. Educa ao enfrentar as autoridades que martirizam os mais humildes. Educa pelo gesto. Quando adolescente vi um filme que marcou minha personalidade. Neste filme de William A. Wellman, chamado “Beau Geste”, interpretado por Gary Cooper, aprendi que conhecemos os homens pelas suas ações e gestos. Os homens bons são conhecidos pelos seus “bons e belos gestos”. Paulo Sérgio Bezerra é um homem bom. Um presente da vida para este pedaço da Humanidade que habita nossa Itaquera.

 

Valter de Almeida Costa – um professor de História



Mais notícias relacionadas a Educação

• Convite para o Seminário: Estudos e Ações para a Educação de Qualidade Social e Proteção Integral à Criança e Adolescente no Território
• Vídeo III Congresso - Professor Paulo Cesar Carneiro
• Vídeo III Congresso - Manoel Romão
• Vídeo III Congresso - Edson Amaro
• Vídeo III Congresso - Diretor José Silveira




Deixe seu comentário